ondadura-logo-amarelo
Cristo é a nossa páscoa

Cristo é a nossa páscoa

“Este será um dia a ser recordado. Todo ano, de geração em geração, vocês o celebrarão como festa especial para o Senhor. Essa é uma lei permanente.” – Êxodo 12:14

Deus instituiu a Páscoa, no capítulo 14 de Êxodo, como um marco na história do povo hebreu. Depois de 430 anos de escravidão no Egito eles são livres de seu jugo de servidão, sendo guiados por Deus para uma nova terra. É curioso perceber que este é o real sentido da Páscoa: libertação. Todo escravo, é, primeiramente, um escravo na mente. Deus realizou feitos extraordinários para mostrar que, mesmo com o passar do tempo, Ele os amava. O mais impressionante desta história é que a Páscoa é a libertação da escravidão. Toda a forma de se portar, o ritual alimentar e outras coisas descritas nesse capítulo apontam para libertação de Deus e o legado que este povo deveria reproduzir para sempre.

O Cristo da cruz é o ‘Cordeiro de Deus’, seu amor é demonstrado, também, em sua morte na cruz. A ressurreição de Jesus, não por acaso no Domingo de Páscoa, traz alguns ensinamentos muito poderosos. Talvez o principal seja o fato de que olhando para ele somos libertos, não mais do Egito, mas de nós mesmos. Cristo é a Páscoa que devemos relembrar para sempre, pois a libertação da humanidade aconteceu com Seu sangue. A proteção que o povo hebreu recebeu de Deus pelo sangue do cordeiro está sobre aqueles que dEle se revestiram, isso é extraordinário. A Páscoa de Deus é um memorial da liberdade que Cristo nos concedeu, por isso você e eu deveríamos ser as pessoas mais dispostas da face da terra. Cristo é a nossa Páscoa.

Uma vida vivida, de forma equivocada quanto a essa data e acontecimento, vai te levar ao chocolate e a tradições religiosas como, por exemplo, só comer peixe. Tudo isso é muito bom, mas a Páscoa do Cristo é muito mais que isso. A Páscoa do Cristo precisa ser vivida cotidianamente através do fato de que Deus deu Seu filho por amor a você (João 3:16). Esse amor não é contido em uma data, um momento, mas um amor eterno revelado na Páscoa. A Páscoa do Cristo aponta para indignos sentando a mesa do pai, e sendo feito filhos, desfrutam dos benefícios da salvação. Nossa escravidão foi encerrada no dia de Páscoa, o dia em que entendemos que o Cordeiro morreu, e seu sangue alcançou milhares de milhões. Essa forma de ver a Páscoa deveria mudar tudo na forma como você enxerga Deus. “Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.” (João 8:36)

O dia mais triste que a natureza presenciou foi, na verdade, o dia mais feliz da história. Os pregos e os cravos eram parte da nossa salvação. O Cordeiro Pascal demonstra Seu amor incondicional através dos séculos. Nele somos livres, qualquer jugo pesado se desfaz diante do fato de que Cristo morreu por nós sendo nós ainda pecadores. Agora somos chamados a fazer desta data um memorial, e transmitir a outros que Cristo é a esperança do mundo. Anunciar às gerações e proclamar que não há salvação sem Jesus é a missão de todo aquele que, na sexta olhou para a cruz mas acreditou que o domingo da libertação chegaria. É essa perspectiva que nos alinha ao propósito eterno de Deus: mesmo indigno sou livre de mim e do meu pecado para trilhar o caminho do Cristo da Páscoa. Coelho da páscoa nenhum tem história mais linda que essa, então desfrute.

 

Pastor Fábio SerafimOnda Dura Rio de Janeiro

Contribua

Estamos transformando o mundo por meio do evangelho. Queremos chegar em todos os lugares, para que outras pessoas sejam tocadas pela presença inquestionável de Jesus. Se você nos acompanha, mesmo pelas redes sociais, através dos nossos vídeos, de longe ou de perto e quer contribuir financeiramente com a Onda, faça um depósito em nossa conta corrente. A sua ajuda pode mudar a eternidade de milhares de pessoas.

ONDA DURA

Caixa Econômica Federal
Agência: 1897/003 – C/C 4082-2
CNPJ 22.788.440.0001-98

Fechar Menu